quinta-feira, março 24, 2005

Quitandeiro

Boa Tarde!

Desde de ontem, após uma combinação de resultados que favoreceram o meu time, passei também, acreditar em milagres... Meus amigos , o futebol tem destas coisas...maravilhosas, fascinantes, inacreditáveis e até surpreendentes. Provocam em muitos um fanatismo, uma paixão desenfreada. Se houver limites, possivelmente, estaria na loucura. É verdade!Não é o meu caso. Fico envolvido, sempre na condição de torcedor.Mesmo me situando como de oposição ao atual grupo que controla com desmandos, o poder da direção administrativa e do futebol.
Triste e lamentável é a situação em que nos encontramos, pois, somos obrigados a conviver com a conduta mais déspota, retrógada, conservadora e policialesca, que é gerado no ambiente da Colina. Há muito, que me posiciono em direção aos segmentos de oposição, surgidos e provocados pelo tipo de administração. Mesmo que haja de modo contraditório, a criação de um programa dedicado, em principio, ao que parece, como noticioso oficial do clube. Mas convém lembrar que o fio condutor, do relacionamento com o mundo externo, seja o anti-marketing.

Como torcedor, diga-se de passagem, confesso, que alguns xingamento são proferidos.Quem não os pronuncia, mesmo calado...?Tenho uma certa preferência pelos árbitros - peço antecipadamente minhas desculpas - claro, que contemplo a todos, sou um democrata por excelência e todos são merecedores de meus apupos. Meu filho Raoni, é solidário a estas manifestações do pai, como vascaíno e pai de um dos mais novo vascaíno, o sorridente Ramom. Fica bonito demais vestido com a cruz de malta. Precisam ver. Mas esquecendo por um instante,estas situações. Agora, passamos a vibrar, que o momento é de comemoraçãoE ontem foi dia de festa! O presente recebido, foi o gol do "Baixinho". Este brilhante jogador, que recentemente em grande alarde, um jornalista experiente, Renato Maurício Prado, que tem o prazer compulsivo de falar mal do clube da Colina, dos dirigentes, ex-jogadores e o elenco atual. Chega a ser uma manifestação de intolerância. Sou favorável a imprensa livre, mas em alguns momentos, penso que o colunista extrapola. Ele tem a vocação e principios, de tudo que se refere ao Vasco tem de levar um revestimento colérico. Creio que ele poderia, mesmo tendo o futebol como tema, buscar e se aproximar mais da neutralidade. Um pouco de isenção não faz mal a ninguém.
Com atuação em um grande órgao da imprensa, ele não perdeu a oportunidade e foi com muita sedo ao pote e noticiou aos quatros ventos, que o nosso grande artilheiro, estaria fora dos gramados. Recordar é Viver!O homem da escrita derrapou feio, deslizando a barriga nos corredores da redação. Taí, à prova em contrário. O homem está atuante, com o mesmo brilho inerente ao seu ser.Iluminado! Um brilho estelar.
Com intimindade incrível com a Dona Bola; seja beijando ou acariciando, seja, com a cabeça e os pés. Podemos dizer.Foram feitos, SIM, um para o outro. Ainda encontramos pessoas que não entendem muito bem, que Romário é Romário. Gente, isto é muito simples e foi demonstrado no pontinho decisivo a favor do Vascão. Tudo com a benevolência de Deus, de São Januário e Nossa Senhora das Vitórias. Com toda esta ajuda, não podemos esquecer que, ainda prevalece a sua famosa frase:"Quando nasci, Deus apontou e disse: esse é o cara". Não há dúvidas que não poderia ser outro. Estava escrito nas estrelas.(ele faz parte desta constelação) Há 11 Mil Anos Atrás...Não posso deixar de registrar o primeiro gol do lateral-direito Claudemir em cobrança de falta, Resultado: Vasco 2 x 1 Olaria. Uma pena, que o time do Olaria, seja rebaixado, indo jogar em 2006 a segunda divisão.

Tive alegria como foi demonstrado acima,mas uma outra de felicidade e recordação, foi quando coloquei para ouvir, o ótimo cd Pagode de Mesa ao Vivo, sou um tiete assumido da cantora botafoguense(adoro) Beth Carvalho, liguei o som no lado esquerdo do peito, plugado e dentro da Quitanda, peguei esta letra: O Quitandeiro - de Monarco e Paulo da Portela. Convidados: Velha Guarda da Portela.

"Quitandeiro
Leva cheiro e tomate
Na casa do Chocolate
Que hoje vai ter macarrão
Prepara a barriga, macacada
Que a bóia tá enfezada
E o pagode fica bom
Chega só trinta litros de uca
Para fechar a butuca
Desses "nego" beberrão
Chocolate, tu avisa à "criola"
Que carregue na cebola
E no queijo parmezão

Mas não esqueça
De avisar à nega Estela
Que o pessoal da Portela
Vai cantar partido alto
Vai ter pagode até o dia amanhecer
E os versos de improviso
Serão me homenagem a você
Quitandeiro."

Depois desta maravilhosa música, olhei para o interior da Quitanda, e em uma prateleira colocada na esquiana de meu pensamento. Peguei uma escadinha. Dos vários livros, abri ao acaso, um dos meus autores preferidos, o grande escritor português Fernando Pessoa(como é fascinante) de quem retirei uma das quadras portuguesas: in "Quadras ao Gosto Popular". Não está na integra. Indico o livro: Poesias Coligidas: Quadras ao Gosto Popular- Novas Poesias Inéditas , editado pela Nova Fronteira - (Obra Poética V.VI)

"Dá-me um sorriso a brincar
Dá-me uma palavra a rir,
Eu me tenho por feliz
Só de te ver e ouvir."

"Tenho um relógio parado
Por onde sempre me guio.
O relógio é emprestado
E tem as horas a fio."

"Há verdades que se dizem
E outras que ninguém dirá.
Tenho uma coisa a dizer-te
Mas não sei onde ela está."

"Todas as coisas que dizes
Afianl não são verdade.
Mas, se nos fazem felizes,
Isso é a felicidade."

Fico aqui, sentado atrás do balcão da Quitanda, aguardando a presença de amigos para uma visita. Mesmo que seja para dois dedinhos de prosa Desejo para vocês um bom fim de tarde.


Um comentário:

Laura disse...

Gostei, agrada a homens e mulheres, está gostoso de ler, siga em frente que atrás vem gente.
Bom dia meu querido amigo.
Já leu o meu caso com o Drummond lá no meu blog? está sendo um sucesso,nada como o poeta.
Um bjao,elianne.
PS: posso te ensinar a trocar a caixa de mensagens, esta limita mto. Coloque a Haloscan,é mto fácil, é só entrar lá que eles fazem automaticamente.