domingo, setembro 24, 2006

Uma conversa sobre livros e livrarias

Wilton, blogueiro da Quitanda do Chaves, caricaturado por um talentoso colega de trabalho, o artista Alexandre "Chambinho". Sou agradecido pela homenagem do colega, reproduziu quase que fielmente a minha imagem. A presença do felino nesta imagem, acredito que é para dizer que sou e estou realmente um "gato". Observação: O desenho ficou "escondido", foi para um outro local, na parte inferior do post.

Olá!

Aproveitei o momento, em que ainda, não recebi a visita de Ramom, para fazer alguns rabiscos no Mural da Quitanda. Inicialmente, agradeço as visitas de amigos leitores e blogueiros amigos. Esclareço aos amigos que aqui passaram e deixaram mensagens, farei visitas em breve, tão logo, administre melhor o meu tempo. Tenho ficado muito contente, pois, recebo visita de pintores que “exponho” na Galeria do blog, estão chegando aos poucos.

O assunto de hoje, são as reminiscências do meu tempo de livreiro. Depois que voltei ao mercado de livros, pude observar e confirmar a prazerosa identificação que tenho com o universo do livro, seja pela via do título de uma obra, do nome de um autor ou a oportunidade de encontrar velhos amigos; alguns desde dos tempos em que criei nos anos 80, a Livraria Quarup, na Rua Visconde de Pirajá, com Aníbal de Mendonça, no bairro de Ipanema.

Era um tempo de muita efervescência intelectual, de muito agito, de contato com escritores, psicanalistas, poetas, professores universitários; a livraria promovia vários lançamentos de livros; ou como uma vez, colocamos cenas do filme, “Prova de Fogo”, de Marco Altberg, produzido em 1980, com a participação de Pedro Paulo Rangel, Maitê Proença, Ligia Diniz (irmã de Leila Diniz) e outros artistas. Um dos roteiristas do filme foi o meu colega de faculdade, o antropólogo Níveo Ramos, que publicou em livro de mesmo título do filme e editado, pela querida editora Achiamé, depois pela ECO, uma casa editorial concentrada em sua linha editorial, livros de Umbanda, parece que ali, foi editado a primeira edição de O Diário de Um Mago, de Paulo Coelho e posteriormente editado pela Rocco, havia um outro livro chamado Manual Prático do Vampirismo, na verdade estou em dúvida se foi lançado pela editora Christina Oiticica, esposa de Paulo Coelho e proprietária da Shogun Arte, sediada no Rio de Janeiro, no bairro de Copacabana, lembro que editavam livros de poesia, livros de Paulo Coelho em parceria com Raul Seixas. Havia neste período muitas editoras chamadas alternativas, com pequenas tiragens e com dificuldade de penetração no mercado, muitas sucumbiram, assim, como as livrarias.

Sempre tive vontade de participar do mundo dos livros, primeiro, claro, como leitor e depois, como aprendiz, iniciei como “auxiliar de vendas”, em uma livraria e minha “estréia” foi concretizada, na Interciência, livraria, uma boa livraria, especializada em livros técnicos. A partir dali, compreendi, que é imprescindível, para o profissional do livro, ter uma intimidade com a leitura. Hoje, percebo claramente, que a bagagem que carrego, facilitou em muito, o meu trajeto no ramo do livro. Acredito que eu seja profissional singular no mercado editorial.

Por curiosidade intelectual fui um sujeito de “dialogar” em vários campos do saber, como: Serviço Social, Pedagogia, Psicologia, Comunicação. Claro, dando uma tintura maior na área de minha formação. O perfil de minha clientela havia uma ligeira predominância do pessoal psi.

Alguns livreiros (donos de livrarias), atualmente são receptivos ao pessoal com formação mais elaborada, com bom nível de cultura geral. Por outro lado, observei e esbarrei em uma barreira, revestida por puro preconceito em que o profissional mais qualificado era considerado por um segmento de “livreiros”, como “mais caro”. Assim, como ouvi de livreiros, que declaravam que raramente pegavam um livro para ler, alegavam falta de paciência e de tempo, para se dedicarem à leitura.

Ler é uma atividade solitária, requer tempo e naturalmente dinheiro, para aquisição de livros. Acho interessante neste momento, foi resgatar, reviver através da memória, da leitura de resenhas e dos títulos, autores e situações envolvidas com o livro; estavam ali, adormecidas em um canto da memória e foi sendo reativado aos poucos.

Há mais de dez anos que estou afastado dos livros, de livraria, o tempo é maior, por volta de 20 anos. Fico satisfeito, pois, a minha memória está bem viva e “não me abandonou”.

Hoje, faço um mês que voltei para o livro, é um sebo, estou curtindo muito, pois, sou um caçador de preciosidades, farejo os livros, manuseio este objeto com carinho, que me proporciona uma enorme satisfação. O prazer da leitura está presente e alegria de reencontrar com pessoas amigas. Uma constatação que gosto de salientar, o público feminino, é o maior consumidor de livros. Uma declaração destas, ao ser entrevistado, foi dada por mim em um seminário do pessoal da Revista Rádice – Revista de Psicologia (surgida nos anos 70 e extinta em 81) e do jornal Luta e Prazer (jornal “alternativo” que foi editado pelos meus conhecidos dos anos 70, Carlos Ralph e Dau Bastos) Dau, encontrei anos depois, quando publicou o livro “Das trips, coração”, pela editora Marco Zero, lugar em que trabalhei na parte de vendas, junto a um dos donos da editora, o escritor amazonense Márcio Souza, autor de uma vasta obra

Queridos amigos e leitores amigos, volto a conversar no próximo domingo, agora, chegou Ramom, cheio de pintas pelo corpo, com catapora. Agora, fica impossível de continuar. O texto estava previsto para ser postado pela parte da manhã, mas mal terminei de escrever, o menino muito levado, fazia ser ouvido, pelos gritos chamando por vovô.

Até breve.

21 comentários:

Vera Fróes disse...

Wilton, deveria ter colocado a caricatura lá em cima perto da informação.
Tira uma dúvida minha. Qual a aua formação?
Quem adoraria esse trabalho é o maridão Jacques, ele é um enciclopédia ambulante, adora estar sempre lendo.
Obrigada pelo seu carinho.

Bjos.

elianne disse...

O desenho está ótimo, perfeito. Fico feliz em te ver bem assim :)
bjs para todos, elianne

Saramar disse...

Querido amigo, que beleza de caricatura. Você realmente ficou um gato (risos). Você merece esses presentes e homenagens.

Devo confessar que li todo o texto com uma inveja crescente. Meu sonho sempre foi trabalhar com livros, viver no meio deles dia e noite.
Adoro especialmente os sebos e seus comoventes exemplares, a exigir cuidados redobrados no manuseio e nos trazer lembranças de antigos donos.
Porém a vida me levou por outros caminhos. Ainda sonho, um dia, iniciar um sebo bem despretencioso. Mas isso deve ficar para depois da aposentadoria, que ainda demora um pouco.

Parabéns por sua trajetória vitoriosa e bela entre os livros e os autores.
Beijos e melhoras para o Ramon.

Tata disse...

Muito bom o desenho!
Beijos n'alma

Luna disse...

Olá moço.
E o tempo veio até mim mais uma vez e com o auxilio de uma brisa suave trouxe-me até aqui.
E perdida que estou, fiquei por aqui por alguns segundos para te desvendar, ou pelo menos, tentar.
E assim estou, no meio do encanto e do espanto.
Vou-me, na tentativa vã de me encontrar por fim.
Abraços

Jane Marques disse...

Querido Wilton, fico feliz em vê-lo tão bem e feliz!!! Passei para deixar um abraço e desejar uma linda semana pra ti.

Jôka P. disse...

Muito legal o desenho !
Nessa altura o Ramon já deve estar sarado da catapora !
Abç!

Vera Fróes disse...

Wilton, passando para desejar um excelente fim de semana.

Bjos.

Silvio Vasconcellos disse...

Deixo um convite para o laboratório literário!

A partir de 16/10/2006 no Contos & Encontros
htp://contoseencontros.blogspot.com

Lena disse...

Menino,

Faz tanto tempo que não passo por aqui que me deu saudades... Como vc está, meu amigo? Depois de muito tempo afastada, em meio a tempestades, resolvi voltar a postar. Bjo e boa semana.

kassynha disse...

De passagem, estou eu em seu cantinho para deixar um convite.
Faça-me uma visita e acompanhe minha despedida que terá início no dia 26 de outubro.
Uma despedida lenta, essa terá 32 dois... Mais detalhes no meu cantinho.
Beijos com açúcar e com afeto.
Kassynha

Luna disse...

E na janela do olhar repouso serenamente o pedido de uma ilusão, a qual sem titubear imendo um soneto e deixo as cortinas ao sabor do vento e de tudo mais que eu possa encontrar.
Foi um prazer esta visita vespertina.
Abraços
Luna

Luna disse...

Numa visita breve, preenchida com gotas recém derramadas pela chuva da manhã...
Um abraço junto ao vento que passa e faz festa pelos meus castiçais.
Luna Guedes em visitas matinais

Janaina Staciarini disse...

Wilton, meu sonho é abrir uma livraria. Na verdade um sebo. Com café, espaço cultural e tudo mais. Sonhos, sonhos são.

Janaina Staciarini disse...

Adorei a caricatura!

Lia Noronha disse...

Wilton: saudades suas meu amigo.Beijo grande neste feriado ,ok?

Marcus disse...

Wilton, meus parabéns pelo seu blog! Interessante, somos colegas de template! Hehehe! Obrigado por suas considerações ao meu humilde Canoa Furada.

Não repare se eu ficar algum tempo sem postar nada, o canoa é assim mesmo. Às vezes 3 posts em um só dia, às vezes vários dias sem postar.

Um abraço, e até outra hora!

Silvio Vasconcellos disse...

Wilton, fiquei muito feliz pela tua visita no meu novo blog. O Mini Contos é uma forma de praticar a escrita diariamente além de exercitar a escrita sumária em até 300 caracteres.

Espero vê-lo por lá e, principlamente, ver-te novamente postando por aqui. Sentimos, sua falta amigo. De ti, de teu neto e, se me permite, até da tua esposa (rsss).

um abraço,

Sílvio

Lena disse...

Ei moço, como está vc? Saudades...

denise disse...

Oi, Wilton, prazer voltar aqui! Puxa, trabalhar em livraria, era tudo o que eu queria, ai ai. Sortudo.
Abraço, garoto

Ivo Korytowski disse...

Dei uma passada aqui pra lhe desejar Boas Festas e vejo que você deu uma "parada".