terça-feira, março 14, 2006

Papo de 5 ª


Adir Sodré: Nasceu em Rondonópolis, Mato Grosso, em 1962. Em 1977, freqüenta o Atelier Livre da Fundação Cultural de Mato Grosso. (Fonte de Consulta: Itaú Cultural, Diário de Cuiabá) Pinta nos anos 70, o cotidiano dos bairros populares de seu estado. Revela uma admiração por Henri Matisse. Utiliza temas sociais com humor, emprega cores e elementos de teor erótico. Presentes em obras como: "Falo e Flores", 1986 e "Orgia das Flores", 1987. Adir ocupa um espaço relevante nas artes plásticas do Centro-Oeste, está sempre em exposição. É um artista muito atuante Posted by Picasa

############################
Olá!
Desde que Marilene ficou aposentada, que à partir do mês de fevereiro, resolvemos caminhar pela areia da praia de Copacabana. Virou nossa rotina, que apenas alteramos no sentido da caminhada, ora, em direção ao Leme, ora, em direção ao Posto 6. Ficamos fixados no Posto 3, às sextas-feiras, que é o dia da visita de Ramom. Vamos os 3, à praia.

O cenário praieiro é deslumbrante, o barulho incessante das ondas, os pescadores com os seus barcos no Posto 6. Alguns nadadores estão presentes nesta paisagem. No céu, gaivotas em círculos se fazem notar.
Andar pela praia oferece oportunidade de encontrar com pessoas que se aproximam do mar, vestidos. Acredito que muitos sejam estrangeiros ou excursionistas. Nos finais de semana, a orla fica lotada de ônibus, principalmente no Leme; quando caminhava pelo calçadão, eu flagrava mais estes momentos. Percebia o estado de felicidade, de alegria, no contato com o mar. Acho que o mar exerce esta atração, os conduz até ele e os seduz. Claro! Acho que produz medo, espanto, sorriso e contentamento. Há momentos em que o mar está bastante revolto, as ondas crescem de tamanho, invade os espaços da areia e a transforma.
Na Pedra do Leme, o Caminho do Pescador, no inicio da praia, uma visão parcial do local, pode ser apreciado no excelente blog Avenida Copacabana, de Jôka, com uma visão sensível e bem humorada de um artista plástico que é na verdade, uma das melhores vias de se conhecer o famoso bairro da zona sul.
No inicio da semana, ao andarmos pela areia, passamos por um turista, de bermuda, junto ao mar e com uma câmera fotográfica. No sentido contrário, três rapazes que pararam próximo ao turista e ficaram tecendo comentários entre si, desconfiamos que estavam escolhendo quem iria abordar o incauto turista. Fica muito difícil neste horário a presença de policiais. Nós ficamos na nossa, ignoramos, resolvemos não arriscar. Como avisar para um turista que ele seria provavelmente assaltado? Pensamos, se fizermos algum sinal, estaríamos facilitando uma possível represália dos rapazes ou um encontro na próxima caminhada que fizéssemos.
Em minhas caminhadas que fazia com mais intensidade pelo calçadão, é raro a presença de policiais, já presenciei diversas pessoas serem assaltadas, muitos idosos e turistas. Ha´uma área perto do Hotel Othon e da discoteca Help, que eu considero extremamente perigosa.
Hoje ao voltarmos para casa, ao atravessar a faixa da areia, encontro uma "sereia", sentada muito tranqüila com os seios à mostra. Olhei de novo para os seios da moça, apenas para confirmar, não ser uma ilusão de ótica; não, não era. Perguntei para Marilene, se ela estava vendo o que eu vi. Confirmou, estava. Esta situação, não é atipica na praia, em alguns espaços, há mulheres e travestis desnudos. Acho a praia um bom observatório para os comportamentos sociais, para a moda, e a divisão de alguns territórios assumidos por determinados grupos. Minha amiga Laura, do famososo e conhecido Caminhar, também tem todo um olhar diferenciado para o bairro de Ipanema, onde atuou como psicanalista, moradora, ou melhor uma tipica garota de Ipanema. Cresceu no bairro, ela com certeza, é uma fonte de consulta para entender Ipanema. Para uma leitura sobre a cidade do Rio de Janeiro, um olhar sobre o ontem, o hoje e o amanhã, o mais indicado e recomendado é do meu amigo blogueiro Ivo, em seu badalado e um dos mais consultados para se conhecer a cidade maravilhosa. Há sempre textos interessantes em destaque, um click obrigatório em Literatura & Rio de Janeiro.
!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!
O novo jornal O Dia, que seria lançado no próximo domingo, dia 19, foi transferido para abril, segundo informações do jornalista Milton Coelho da Graça Contrataram alguns jornalistas entre eles: Luis Nassif, Danusa Leão, Marcelo Rubéns Paiva, Ricardo Noblat e Ricardo Boechat. Circula pelo mesmo site, que o jornal O Globo prepara um novo projeto de jornal. Lembro que recentemente um jornal, lançado por uma das herdeiras de O Dia, fracassou, em menos de dois meses o jornal Q. Fizeram grande "espuma" no metrô, circulavam vendedores, a proposta de edição vespertina e preço popular. Particularmente, acho a idéia de vespertino, superada, foi boa nos anos 60. Hoje com a internet e os canais a cabo, são grandes concorrentes para inibir inciativas deste tipo.
O jornal Meia Hora, lançado por outra filha de Ari Carvalho, o resultado foi bem melhor, parece ter alcançado o objetivo, que era dividir um pouco os leitores de Extra. Torço para que jornais apareçam nas bancas, que abra espaço para jornalistas, crie e forme leitores.
##################
Meus Caros Amigos leitores e blogueiros, agradeço muito pela presença e os comentários feitos no blog.

20 comentários:

Diana disse...

Boa Tarde......

Fico imaginando vcs caminhando..tranquilos......
Rsss....
Bjs....

Marcia Lustosa disse...

Wiltom tenha um lindo final de semana ao lado do seu netinho Ramon e de sua amada Marilena.
Bjãoooo e fique com Deus.

Laura disse...

Meu querido, vc sempre me deixando sem graça com seus elogios hihihi garota de Ipanema...
bom, adorei teu post, esta questão da polícia é séria, eu tbm via os ladrões em ação,a gente até já conhece alguns com o tempo, mas fazer o que? minha irmã se meteu numa encrenca,antes de 80 porque foi tomar conta dos pertences de um gringo, a ofendiam, perseguiram dias a fio.
bjão, aproveite bem a praia, é tão bommmmm...
laura

Wilton disse...

Olá!
Márcia, obrigado pela visita. Um grande abraço, beijinhos em Christian.

Wilton disse...

Ola´!
Diana, agradeço por sua visita neste espaço.Caminhar tranqüilo, acho que se consegue pela manhã por volta das 8 horas.A turma de Copa ainda está acordando.Querida, um grande abraço.

Wilton disse...

Querida Laura, obrigado por sua presença sempre encantadora neste espaço.Quando eu comecei a falar de praia, lembrei de você e de sua paixão pelo mar e pelo bairro de Ipanema.Outro dia lembrei quando nos encontramos lá no final do Leblon e fomos caminhando para à praia... Beijos

denise disse...

Que bênção é partilhar do dia acordando, o sol brilhando, puxa, caminhar de manhã é tudo de bom!
abraço, garoto

Saramar disse...

Wilton, essas vivências que você distribui conosco nos dá uma vontade de estar aí, andando com você e Marilene, para que nos mostre tudo de maravilhoso que hé nessa cidade.
Ao mesmo tempo, um certo medo é comum, justamente em vista desses assaltos ue você descreveu.
Porém, nada reduz o encantamento pelo Rio e, o ncantamento por você, para nós os privilegiados em conhecê-lo.

Beijos para você e todos da sua família e um excelente domingo

Mércia disse...

Oi amigo Wilton...coisa boa essa caminhada!!!! É um privilégio poder passear assim tão pertinho do mar e ainda mais quando a companhia é tão agradável como a da Marilene a companheira de todas as horas e o seu querido netinho!
Bjos...tenha uma semana linda!

Lia Noronha disse...

Wilton: te desejo uma semana bem tranquila...entrei no site que vc indicou...e adorei!
Beijos bem carinhosos...e obrigada pela sua visita no meu Cotidiano.

D'Noronha disse...

Muito legal a introdução dos posts com artistas e suas obras.Achei o fino...

Vera Fróes disse...

Wilton, só de ler o seu texto, fico deslimbrando os locais.
Continue com a caminha com a Marilena, isso faz um bem danado para a saúde.

Boa semana.
Bjos.

Wilton disse...

Olá!
Saramar minha doce amiga blogueira, sinta-se convidada a passear conosco em Copa.Verdade que nada reduz o encanto de Copacabana e do Rio de Janeiro. A paisagem e a imensa população moradora e visitante, mantém a diferença.Querida, obrigado pela visita e o comentário. Beijos

Wilton disse...

Querida Vera, obrigado pela visita. Realmente, caminhar pela praia, bem cedo tem sido para nós, um deslumbramento, bem como, os benefícios para a saúde.Com pouca gente, fica muito tranqüilo, embora, haja alguns sobressaltos.A praia mais vazia,com alguns turistas transitando de roupa e máquinas expostas sem nenhum cuidado, acho que é um convite...Beijos

Wilton disse...

Linda Lia, desejo para você, uma ótima semana, Obrigado pela visita. Beijos

Jôka P. disse...

Wilton,
obrigado por suas palavras !
Um grande abraço
do amigo Jôka P.

Luiz Roberto Lins Almeida disse...

excelentes dicas e excelentes posts os seus. gostei mto.
O mais perto que cheguei do Rio de Janeiro foi indo até Corumbá (MS) onde há uma afinidade mto grande com os cariocas.

Wilton disse...

Olá!
Meu Caro Luiz Roberto, agradeço pela simpática visita e o comentário feito neste espaço. Muito bom saber desta afinidade, acho que o carioca possibilita esta aproximação, se posiciona sempre de braços abertos para todos. Um grande abraço.

Wilton disse...

Jõka meu querido amigo blogueiro, obrigado pela visita. As palavras são merecidas. Um grande abraço.

Ivo Korytowski disse...

Obrigado por divulgar meu blog!!! O blog do Jôka também é um espetáculo! E viva o Rio!